sábado, 6 de junho de 2009


VIOLONCELOS DA FLORESTA

Violoncelos da floresta
Tocam para o vazio
Sentados sobre as madeiras
De costas para o sombrio
Quem os aplaude: ninguém
O som que jamais se escuta
Ora tocam para o nada
Ora tocam para o nunca.

2 comentários:

ANTONIO DESIDÉRIO FRUTUOSO FERREIRA DE CARVALHO disse...

Seu poemas me chamam para natureza
para o belo de uma arte em essência, em pensamentos que são difíceis de traduzir.
Vivendo o clima poético sinto o aroma dos ares que envolvem os poemas.

MqV disse...

Senti-me nada. Senti-me nunca. Senti-me floresta inundada de sons...