quarta-feira, 21 de outubro de 2009


LIVRO DOS SERES

LUZ

Se a luz
de uma estrela morta
só agora
nos responde
porque não somos
a luz
de um tempo
de não sei onde?

Que mundo é esse
o real
que temos
à nossa frente
seríamos o passado
que retorna
simplesmente?

Ou então
só a lembrança
engano, repetição...

estaríamos sonhando
ou seríamos ilusão?

6 comentários:

Daniela Paulinelli disse...

Cara Denise,
já havia entrado no teu blog inúmeras vezes, mas só hoje vi o nome do Imaginário Poético indicado ao Blog de Ouro!
Fiquei emocionada!
Vc não imagina como é gostoso saber que o Imaginário, com toda sua singeleza, é apreciado por uma grande poetisa!
Já estava feliz com teu comentário no IP, agora além de feliz, estou também sinceramente honrada.
Passarei o título adiante em post no Imaginário ainda hoje.
Abraço,
Daniela

MqV disse...

Por vezes a mão do acaso nos guia a destinos gratificantes. Descobrir este seu blog é uma dessas ocasiões. Muito embora, me traga, ele, uma ambigüidade (não consigo me desfazer do trema!) de sentimentos: o do prazer presente/futuro de viajar por seus temas, e o de perda, por não ter antes conhecido o que estava além do vôo da cotovia. Serei freqüentador assíduo deste paraíso, assim como já salvei todos os links dos vídeos do youtube para degustar com calma o seu trabalho. Fica cá, comigo, uma pontinha de orgulho de saber que há um pouco de Bahia nesta beleza! Obrigado! Fique com Deus!

Assis de Mello disse...

Muito bom, Mestra !!
Vai ver que somos mesmo fogo fátuo de eras atrás...
Estou aqui pensando na próxima "encadernação"... rsss
Beijooo

cristinasiqueira disse...

Oi Denise.
Te achei no Chico Assis de Mello e vim registrar minha admiraçãopelo teu trabalho,merecidos pr~emios e sucesso.
Misteriosos versos como anjos perdidos no tempo.

Com carinho,

Cris



www.cristinasiqueira.blogspot.com

ANTONIO DESIDÉRIO FRUTUOSO FERREIRA DE CARVALHO disse...

Mistérios da existência com indagações sobre o que fui no passado, quem sou hoje e o que serei no futuro. Senti assim essa mensagem poética para almas cândidas.
Bela reflexão Denise!

Toni Ferreira

.Leonardo B. disse...

[de onde se diz que não há homem que seja uma ilha, mente, por vezes; há mais ilhas no homem que as imaginadas... o recurso da vida toma-se nos arquipélagos, da letra, da palavra, da vida - e do arquipélago, a constelação é possível! que se construa a vida nesse barro!]

um imenso abraço

Leonardo B.