terça-feira, 28 de julho de 2009


foto Assis Mello

Dê-me a palavra que invento um bosque

Pleno de repousos e grandes baobás

Sopre-me o verbo que verso o mote

Viagem sem norte vento de além mar.




5 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Parece uma pintura...

Assis de Mello disse...

E qual a utilidade de um norte se o verbo vai num sopro ? Delícia de poema !!!
O blog está ficando lindo com as obras desse gênio da fotografia !!! rssss
Beeeijo, Mestra !!!

ANTONIO DESIDÉRIO FRUTUOSO FERREIRA DE CARVALHO disse...

Esses versos me levam à brisa, ao mar, ao campo, a tudo que é bucólico e contém amor.
Estou sonhando, obrigado poetisa!

Toni Ferreira

Rubicreide disse...

Parece uma pintura mesmo!

Eu bem queria escrever assim cantando e soprando.

Mas eu vou lendo.

O quarto do escritor disse...

E soprou em meu rosto...
Prazer